No verão, devido à alta temperatura, nosso corpo esquenta e todos nós, consequentemente, temos que nos refrescar de alguma forma. E uma das formas de se refrescar é ingerindo líquidos, sejam eles bebidas não alcoólicas como água e sucos, ou alcoólicas, como drinks de verão ou cervejas, que vamos abordar neste artigo.

Vamos entender o porquê de uma cerveja ser classificada como artesanal e “de verão”. E, depois disso, você vai poder escolher o seu rótulo preferido. Afinal, cerveja de verão tem que refrescar!

Uma das formas de se refrescar é ingerindo líquidos, sejam eles bebidas não alcoólicas como água e sucos, ou alcoólicas.

Características da cerveja de verão

Produzida basicamente a partir de água, malte, lúpulo e levedura, hoje em dia a cerveja está disponível nos mais variados aromas, texturas, cores e sabores. Já ficou com sede e com vontade de comprar a sua gelada?

De antemão, vamos entender alguns fatores que tornam uma cerveja classificada como “de verão”:

Teor alcoólico reduzido

As cervejas que nos refrescam são aquelas com um teor alcoólico reduzido e moderado, pois um teor alcoólico alto traz aquecimento. Haja vista o famoso whisky, sempre mostrado nos filmes como a clássica bebida que esquenta no mais frio inverno!

Cor e torrefação

Para ser uma cerveja de verão, outro fator que influencia é a cor. O que traz cor à cerveja é a torrefação do malte. Cervejas com maltes mais tostados resultam em cervejas mais avermelhadas e acobreadas. Já as com maltes mais torrados geram cervejas acastanhadas e escuras, até mesmo pretas. 

A torrefação traz aquecimento. As cervejas mais claras, com maltes menos tostados, são, consequentemente, as que não trazem aquecimento. Ao contrário disso, refrescam e são indicadas nos meses mais quentes do ano.

Infográfico cervejas de verão. Por Zona Sul.

Cerveja artesanal

Se você não conhece a diferença entre as classificações de cervejas, viemos sanar suas dúvidas! A diferença, basicamente, está na composição dos cereais:

Populares e premium

As cervejas populares, de grande giro, são mais democráticas e acessíveis pois utilizam cereais não malteados, como milho e arroz na sua composição.

A legislação brasileira permite que se use até 45% do total de cereais na composição da cerveja com cereais não malteados, como milho e arroz. Com isso, o custo de produção se torna mais barato, deixando as cervejas populares mais acessíveis e baratas.

Já as cervejas chamadas premium são cervejas igualmente populares, porém, com um valor agregado maior.

A legislação brasileira permite que se use até 45% do total de cereais na composição da cerveja com cereais não malteados, como milho e arroz.

Artesanais

Primeiramente, é válido ressaltar que as cervejas artesanais podem ser brasileiras ou importadas. O que as diferencia das populares é que, na sua grande maioria, são “puro malte”. Ou seja, usam apenas ingredientes nobres e não utilizam cereal não malteado. Ou, se usam, é unicamente por conta do estilo da cerveja.

Produtores independentes

Além disso, no universo das cervejas artesanais, existem as cervejarias independentes e as não independentes.

Hoje em dia, cervejarias locais estão ganhando prêmios internacionais. Por isso, é bom atentar-se para produção local e experimentar as cervejas artesanais de produtores independentes.

José Raimundo Padilha, Expert em Cervejas Zona Sul

Hoje, no Brasil e principalmente nos EUA, existem associação de cervejas independentes como a Abracerva (Associação Brasileira da Cerveja Artesanal) e a Brewers Association, entidades que possuem um selo de cerveja artesanal independente, o que mostra que a cerveja é produzida por um pequeno produtor.

A diferença principal desta proximidade é que, quando produzida por um produtor local, a cerveja artesanal tem a identidade própria do cervejeiro. O consumidor conhece a história da receita e tem mais intimidade com a marca.


Rótulos indicados para o verão

As cervejas artesanais indicadas para o verão são as cervejas leves, claras e refrescantes. Existem vários estilos sugeridos, como:

Pilsen

Com teor alcoólico médio e moderado, leves, claras e refrescantes, com bastante gás carbônico, que ajuda na sensação de frescor. Importante explicar que a cerveja não é gaseificada e sim carbonatada. O gás não é adicionado artificialmente, como nos refrigerantes, mas sim gerado naturalmente durante a fermentação.

Cervejas de trigo

Cervejas de trigo de modo geral, como as Weissbier, Witbier e Weizenbier, são excelentes para o verão. As Witbiers, de origem belga, têm um toque especialmente frutado cítrico e ajudam na percepção de frescor.

Dica do Expert José Padilha: prepare um drink refrescante com suco de laranja e uma cerveja Weiss para começar a manhã no estilo bem alemão. Assista ao vídeo abaixo e aprenda o passo a passo:

American Blonde, Summer Ale ou Catharina Sour

American Blonde, Summer Ale ou Catharina Sour são estilos de cervejas bem efervescentes, com adição de frutas, geralmente com teor alcoólico médio e acidez destacada. Saiba mais sobre o estilo brasileiro Catharina Sour.

A acidez, assim como no vinho branco e espumantes, é uma aliada da refrescância. A fruta adicionada sempre é uma fruta tropical, não necessariamente brasileira, que dá à bebida uma sensação de frescor, como se você estivesse bebendo um suco, todavia carbonatado (com a efervescência do gás carbônico).

Atenção: carbonatação é diferente de gaseificação! Enquanto o primeiro processo ocorre naturalmente por conta da fermentação da levedura, o segundo é a inserção de gás carbônico na bebida, durante a processo industrial.

Conheça as cervejas com toques de frutas neste artigo!

cerveja artesanal de verão
Cervejas Hocus Pocus com frutas. Foto: Fernando Mafra / Zona Sul.

Agora, por fim, não falta argumento para escolher uma cerveja refrescante para cada dia deste verão! Que tal combinar sua breja com uma receita de verão? Aprenda receitas bem fáceis e gostosas baixando este ebook gratuito!