É fato que os queijos produzidos a partir de leite de cabra têm ganhado cada vez mais espaço. E não é para menos. Você sabia que, além de deliciosos, eles são ainda mais saudáveis do que os queijos de vaca? Neste post, surpreenda-se com os benefícios do queijo de cabra e aprenda sobre os principais tipos existentes. Depois, é só escolher o seu no Zona Sul!

Benefícios do queijo de cabra

Em primeiro lugar, o queijo de cabra é muito mais fácil de digerir. Isso acontece, principalmente, porque as partículas de gordura presentes no leite de cabra são menores em comparação ao de vaca. Além disso, se você é alérgico, uma boa notícia: o leite de cabra tem muito menos caseína alfa-S1, proteína responsável por causar alergia ao leite e seus derivados. Outros benefícios do leite de cabra são:

Leite de cabra: saudável, com menos lactose, menos colesterol e menos chance de causar alergias.

  • Leite de cabra tem cerca de 20% menos colesterol do que o de vaca;
  • Tem menos lactose;
  • Tem mais cálcio do que o leite de vaca, prevenindo doenças como osteoporose;
  • É rico em proteínas, vitaminas e minerais;
  • Tem propriedades anti-inflamatórias;
  • Rico em ácidos graxos e potássio, contribuindo para a boa saúde do coração; e muito mais!

Tipos de queijo de cabra

Existem vários tipos de leite de cabra, variando em sabor, textura, formatos e muito mais. Para você conhecer variedades deliciosas deste tipo de queijo, vamos falar dos queijos produzidos pela Fazenda Genève (@queijosdecabrageneve), localizada em Teresópolis.

Alguns dos consagrados queijos de cabra produzidos são: queijo Brique, tipo Crottin, Pyramide, St Maure e Charolais, além do minas frescal. A seguir, aprenda sobre cada um desses tipos com o Expert em queijos e frios André Guedes.

Minas Frescal

Em primeiro lugar, ressalta-se que o queijo minas frescal distoa dos demais citados, pois é uma receita típica brasileira, visto que não é antecedido da palavra “tipo” na sua nomenclatura.

Possui uma acidez pequena, sabor lácteo fresco e vai bem no café da manhã, lanches e com sanduíches. Além disso, é ideal também para comer com doces.

O queijo de cabra minas frescal, é uma versão gourmet do queijo minas frescal tradicional, com os benefícios do leite de cabra.

André Guedes, Expert em Queijos Zona Sul
André Guedes, Expert em Queijos e Frios Zona Sul

Os demais queijos fazem parte da família mais tradicional de queijos de cabra da França, mais especificamente do Vale do Rio Loire. São famosíssimos pelo crescimento de fungos e leveduras na casca, pelo sabor pronunciado, mas sem ser agressivo e pela cremosidade. Cada um deles tem uma especificidade, que será elucidada a seguir.

Queijo Brique

Brique quer dizer “tijolo”, devido ao seu formato. Esse tijolo é “fungado”, ou seja, tem o crescimento do fungo branco Penicillium Candidum, que dá não só um aroma mais picante, mas produz uma cremosidade na pasta desse queijo.

Ele é perfeito como aperitivo, para consumir com frutas secas, frutas frescas e pães. Vai bem com vinho Sauvignon Blanc ou vinhos tintos bem jovens. Mas nunca com tintos encorpados. Se quiser uma cerveja, escolha uma Bock.

Todos os queijos de cabra vão bem com cervejas do tipo Bock.

André Guedes, Expert em Queijos Zona Sul

Queijo tipo Crottin

Queijo de origem francesa. É conhecido na famosa receita chevre chaud – salada de queijo de cabra com queijo derretido quente, servido com folhas verdes, azeite e pães.

O queijo crottin é pequeno, com no máximo 60g por peça e é destinado para a produção desta salada. Pode ser cremoso ou tornar-se seco e firme conforme maturação. Em temperatura ambiente, é ideal para consumo como petisco.

Queijo Pyramide

Tem o formato de pirâmide, e tem uma camada muito fina de carvão vegetal alimentício que ajuda a secar um pouco a casca e dá uma tonalidade bonita ao queijo quando cortado.

Geralmente, utiliza-se este queijo em tábuas de queijos (plateau du fromage) devido principalmente à sua estética. Deve-se cortá-lo em cunhas a partir do centro.

Queijo maturado por no mínimo 35 dias e tem um crescimento fúngico indicado para degustações com vinhos e cervejas.

Queijos de cabra Gèneve, você encontra no Zona Sul. Foto: divulgação @queijosdecabrageneve,

Queijo St Maure

Queijo delicioso mas com aspecto curioso, devido ao talo de trigo inserido em seu centro, que serve para fazer a maturação. Tal “canudo” serve para girar o queijo na câmara, devido à sua sensibilidade. Para servir, o queijo é tirado deste talo e é servido em pequenas rodelas.

Cremoso, com sabor pronunciado, textura fechada tendendo à cremosidade, sem olhadura, com crescimento fúngico na casca, é um dos mais famosos do Vale do Loire.

Queijo St Maure em primeiro plano. Foto: divulgação @queijosdecabrageneve

Queijo Charolais

Uma versão um pouco mais seca do St Maure, tem um formato mais cônico, aproximadamente100g e apresenta fungos na casca que mudam o sabor do interior da massa. Mais consistente, é perfeito como aperitivo.

Os queijos do Vale do Loire são espetaculares, e a fazenda Genève desenvolveu esta expertise em 30 anos de experiência, este savoir faire, com uso de carvão ativo e uso de leite de cabra 100% puro.

André Guedes, Expert em Queijos Zona Sul
Tipos de queijo de cabra Fazenda Gèneve. Foto @queijosdecabrageneve

Escolha qual queijo de cabra você vai experimentar primeiro e realize esta viagem sensorial gastronômica, deliciando-se com os sabores e texturas dos queijos Genève, que você encontra no Zona Sul.