A natureza sempre nos ofereceu uma rica fonte nutricional. Todavia, com o passar do tempo, a indústria desenvolveu formas de adaptar a alimentação ao ritmo acelerado da vida moderna. Por consequência, o próprio meio ambiente acabou prejudicado, com aditivos químicos e processos destrutivos de produção. Mas seria possível, hoje em dia, acompanharmos a velocidade das megacidades escolhendo produtos que respeitam o ciclo natural da vida?

A resposta, felizmente, é “sim”! Diversas marcas e produtores estão “voltando às origens” e pensando em métodos de cultivo, produção e até mesmo distribuição mais sustentáveis e naturais, com a consciência de que o que você come agora representa muito sobre o seu futuro e o futuro das demais gerações.

O que consumir então?

Por isso, quando se pensa em respeitar o meio ambiente, muita gente pensa logo que o cardápio vai ser alface todo dia, principalmente quando se fala em orgânicos. Um produto orgânico não é sinônimo de salada, mas se refere à forma de produção, englobando até mesmo o universo das massas, bebidas e da proteína animal: aves, ovos, carnes bovinas entre outros tipos.

Massas orgânicas Delverde. Foto: Fernando Mafra / Zona Sul.

No Zona Sul, você encontra uma série de produtos de qualidade, certificados e selecionados com todo o afeto, de coração pra você.

Os pilares da produção orgânica

Uma produção de alimento orgânico, seja ele animal ou vegetal, engloba os seguintes pilares, como citado neste artigo aqui:

  • Respeito pela natureza: a prioridade é a preservação e o cuidado com o meio ambiente. Assim, a produção orgânica se sustenta sem destruir os recursos naturais.
  • Respeito pelas pessoas envolvidas no processo de produção: todos que participam no processo de produção são valorizados, trabalham em condições dignas e têm seus direitos respeitados.
  • Saúde do consumidor: todo esse empenho resulta, sem dúvidas, em carnes mais naturais e, consequentemente, mais saúde ao consumidor.
Pilares da produção orgânica. Infográfico Zona Sul.

No caso das frutas, legumes e verduras, o orgânico engloba um cultivo sem agrotóxicos, transgênicos, aditivos químicos ou fertilizantes sintéticos. No caso de animais, envolve a alimentação dos mesmos sem aditivos químicos, antibióticos sintéticos ou hormônios e respeito ao bem-estar animal, sem confinamentos.

Moda ou benefício?

Orgânico vai muito além de moda. A técnicas agrícolas que não usam agrotóxicos ou fertilizantes sintéticos preservam a qualidade natural e o sabor dos alimentos. E o fato de não ingerir hormônios e antibióticos (no caso de proteínas animais) torna o consumo muito mais saudável. Ou seja, muito além de adotar o consumo de orgânicos simplesmente por uma convicção sobre sustentabilidade, os benefícios são táteis e concretos, tanto no paladar quanto na saúde.

Aproveite e conheça os vegetais Bio Vida, que você só encontra no Zona Sul.

https://www.youtube.com/watch?v=HvS3ZxaOwls
Bio vida, da Horta pra sua casa.

Falou em proteína animal? Aqui você encontra ovos de galinhas livres e carnes com produção orgânica.

Como saber se é orgânico de verdade?

Já se foi o tempo em que as pessoas associavam orgânicos à um cultivo “desleixado”, ou à plantação de “fundo de quintal”. Desde 2003 que existe uma lei que regula a agricultura orgânica no Brasil, a Lei nº 10.831. Ela impõe diversas exigências para que um produto seja considerado orgânico e ganhe sua certificação, o selo SISORG – Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica.

Um produto certificado como orgânico precisa do selo oficial SISORG estampado na embalagem.

Quem verifica se as normas foram devidamente cumpridas pelos produtores é um organismo credenciado pelo Ministério da Agricultura e também pelo Inmetro.

O consumidor que encontra o selo SISORG na embalagem de um produto sabe que o mesmo foi aprovado pela certificadora. E, no caso de vendas de produtos a granel, uma vez que não existe embalagem para estampar o selo, é o produtor que precisa estar certificado no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos.

Quer ler mais artigos sobre orgânicos? Clique aqui!

Atitudes mais sustentáveis

Por fim, se você quer viver hábitos que prezem mais pelo meio-ambiente, não se restrinja somente à escolha dos orgânicos para seu cardápio. Outras atitudes, como o uso de ecobags nas compras, e opção por transportes não poluentes, por exemplo, são grandes contribuições para uma vida mais eco-friendly.