Assim como o escocês tem o scotch whisky, o francês tem o Champagne e o mexicano tem a tequila, nós temos a cachaça! Afinal, a primeira condição para ser chamada de cachaça é ter sido produzida no Brasil. Conheça mais sobre a fabricação e harmonização desta bebida que faz parte da identidade do brasileiro.

De acordo com o Expert José Padilha, há duas datas tidas como prova da existência da cachaça, ambas no século 16, e a mais antiga é 1516. Sem dúvida, a “marvada pinga” é personagem importantíssima da nossa história do “Descobrimento” e também da nossa gastronomia.

Pra ser chamada de cachaça precisa ter sido produzida no Brasil.

Conheça as etapas da fabricação

Para fabricar uma cachaça de qualidade é preciso respeitar cada processo, desde a extração do caldo até o envelhecimento em tonéis.

1. Extração do caldo

Feita com uma única matéria-prima: a cana-de-açúcar. Produzida obrigatoriamente com o caldo fresco extraído da cana, chamado também de garapa ou suco de cana. Para manter a máxima qualidade da bebida, é recomendado que se extraia o caldo em no máximo 48 horas após o corte da cana em moendas adequadas.

2. Fermentação

Após extração do caldo da cana, o mosto (caldo de cana + água) é levado para dornas de inox especiais para o processo de fermentação pela ação de leveduras. Os microrganismos transformam o caldo de cana em vinho de cana.

Teor alcoólico da cachaça deve ter entre 38% e 48%. Se o teor alcoólico não se enquadra nesta definição é considerada aguardente de cana.

3. Destilação

Em seguida, o vinho é destilado em coluna de inox ou alambiques de cobre. A preciosidade do processo eleva a qualidade da bebida.

4. Envelhecimento

A cachaça é a única bebida alcoólica no mundo envelhecida em outras madeiras além do Carvalho. Um dos maiores diferenciais da cachaça está no uso de distintas madeiras brasileiras, entre elas: amburana, bálsamo, jequitibá-branco, jequitibá-rosa, ipê, ariribá, grápia, cabreuva, entre outras.

Etapas da fabricação da cachaça: Extração do caldo, fermentação, destilação e envelhecimento. Infográfico: Zona Sul.

A aguardente é produzida em todos os cantos do país, com mais de 4 mil marcas registradas e com uma grande diversidade de aromas, cores e sabores. Quem está começando a se aventurar nesse universo pode se sentir intimidado diante de tantos rótulos.


Dicas para escolher com qualidade

Veja algumas dicas básicas para se iniciar neste mundo da apreciação de uma boa cachaça de qualidade.

Nariz antes da boca

Uma “marvada” de qualidade precisa ter aromas florais e que remetem à cana-de-açúcar, mas outras características podem aparecer de acordo com a região em que a bebida é produzida. Aguardentes do litoral podem ter notas mais salgadas, por exemplo.

Escolhendo às cegas

Se não dá para tomar um golinho antes de levar a pinga para casa, confira os rótulos abaixo indicados pelo nosso Expert José Padilha para escolher sem erro.

Depois, é escolher entre uma caninha prata, mais seca e potente, ou uma amarelinha, lembrando que o envelhecimento em madeira ajuda a suavizar a bebida.

Selo de qualidade

Procure bebidas registradas no Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e nada de “cachaça boa no garrafão PET, direto do alambique”. Qualidade é essencial para um consumo seguro e sobretudo, consciente.

O envelhecimento da madeira ajuda a suavizar a bebida.

Tipos de cachaça

Cachaça não é água não! De diferentes tipos, cada uma sofre envelhecimento de forma diferente.

  • Prata (branca): Pode ser envelhecida ou não
  • Ouro (amarela): 50% envelhecida, 50% nova
  • Envelhecida: 1 ano ou mais em barris de até 700L
  • Armazenada: Tonéis com mais de 700L por tempo indeterminado
  • Premium: 100% envelhecida de 1 a 3 anos em barril
  • Extra premium: 100% envelhecida por mais de 3 anos
  • Blend: Até 5 tipos de madeira
Tipos de cachaça. Infográfico: Zona Sul.

Cachaças orgânicas que você encontra aqui

Você encontra cachaças orgânicas no Zona Sul, que mesclam tecnologia com técnicas artesanais, tradição e, principalmente, muito sabor. Falando em orgânicos, aproveite para aprender a reconhecer um alimento orgânico de verdade.

Fazenda Soledade

O segredo por trás das cachaças artesanais da Fazenda Soledade, que surpreendem com sua diversidade de madeiras, é que ela continua sendo dirigida diretamente pelos irmãos Bastos Ribeiro. Eles incorporam tecnologias avançadas à preservação de técnicas tradicionais de produção artesanal e praticam a responsabilidade ambiental.

Magnífica

A cachaça Magnífica utiliza caldo cana fresca, produzida na própria fazenda. Numa altitude de 800 metros acima do nível do mar, em condição climática favorável, é colhida de maneira artesanal. É fermentada em processo natural, sem adição de outros produtos, e destilada num raro alambique de cobre de 3 corpos.


Cachaça combina com queijo Calambau

Eleito como o 2º Melhor Queijo do Brasil na Expolac 2017, o Queijo Calambau nasceu das histórias que passam de pai pra filho.

A receita da Paladar de Minas foi inspirada no caso dos tropeiros que, no século XIX carregavam queijos e cachaças para Mariana e Ouro Preto. Um belo dia, porém, um pequeno acidente derramou a cachaça sobre os queijos dentro da bolsa de couro no lombo das mulas. Posteriormente, a bebida curtiu o queijo, dando um sabor e aroma incomparáveis.