A Itália, um dos países mais belos da Europa, é o paraíso dos amantes da boa gastronomia e é claro, de um bom vinho! Berço de vários dos melhores rótulos do mundo, o “país da bota” imprime em cada prato – e garrafa –, todo seu charme, história e esplendor. No entanto, por ser um país incrivelmente diverso, pode ser difícil escolher o vinho ideal, visto que cada região possui seu próprio terroir.

Para descomplicar, os Experts Piero Cagnin, Dionísio Chaves e André Guedes trouxeram informações curiosidades gastronômicas e sugestões de vinhos de cada região, todos disponíveis aqui no Zona Sul. Está pronto para uma viagem pelas cores, aromas e sabores italianos? Prepare-se, então, para aproveitar o melhor da Itália. Salute!

Regiões italianas pelas quais iremos viajar neste post com o Expert Piero Cagnin.

Friuli

Friul-Veneza Júlia, também chamada de Friuli, Nordeste da Itália, é conhecida, primeiramente, por ser mais tranquila, boa para quem quer relaxar em meio a paisagens de cair o queixo!

A culinária local é prevalentemente de terra, com incursões na cozinha de mar no litoral adriático, e também alguma peculiaridade, como uma curiosa sopa de peixe, sem tomate, mas com abundância de pimenta do reino, prato notadamente de origem medieval.

Usa-se o milho em abundância e por todo canto é possível encontrar sopas à base de leguminosas e hortaliças, embutidos e carnes de caça. Um dos produtos mais conhecidos da região, aliás, é o presunto cru de San Daniele. Aproveite e aprenda uma receita de bruschetta com presunto cru, por Christophe Lidy:

Agora, finalmente, é hora de falar de uva e, é claro, de vinho! Em Friuli, os vinhos brancos ganham destaque, representando grande fatia da produção regional. Entre as castas brancas, as mais famosas são a Malvasia, Pinot Grigio, Picolit, Refosco e Ribolla Gialla.

Vinho Branco Italiano Pinot Grigio Zonin

Quer conhecer o autêntico sabor dessa incrível região? Este vinho, por ser leve, é recomendado para a entrada e combina com saladas, carpaccios, peixes e queijos frescos. Segundo o Expert Dionísio Chaves, o vinho tem aromas de maçã verde, limão siciliano e floral. Na boca, é fresco e final de boca muito agradável. Imperdível!


Região Trentino-Alto Ádige

No Norte da Itália, encontra-se uma das mais fascinantes, diversas e encantadoras regiões italianas. Sendo naturalmente privilegiada com bosques, montanhas, rios, lagos e vinhedos maravilhosos, a Trentino-Alto Ádige é fantástica! Lá, tem até estâncias de esqui.

Paisagem em Trentino Alto-Ádige, Itália.

Em grande parte da região, é comum ouvir pessoas falado em alemão. A influência germânica, aliás, é notada também na arquitetura e na cultura.

Na gastronomia, por exemplo, não faltam traços germânicos. O doce strudel e o knödel, uma espécie de bolinho de batata, são alguns dos pratos típicos na região. Além disso, há muitos pratos à base de sopas, leguminosas como a cevada, gnocchi à base de pão, farto uso das batatas e muita polenta, sempre acompanhada de deliciosos queijos frescos ou curados.

Por falar em queijos, aqueles de massa dura como Grana Padano e Parmigiano Reggiano fazem muito sucesso!

Adentrando ao mundo dos vinhos, uvas de qualidade não faltam na região. Apesar de não ser muito grande, o mercado de vinhos trentino é famoso por seu elevado padrão e variedade de cepas, devido à sua diversidade de clima e solos.

Vinho Branco Colterenzio Gewurztraminer

Esse vinho, de bom corpo e recomendado para o prato principal, acompanha bem magret de pato com molho de laranja, comida tailandesa, asiática, indiana, peixes ensopados e condimentados e queijos marcantes. Segundo o Expert Dionísio Chaves, o vinho tem boa estrutura, com aromas de lichia, especiarias e rosas. Na boca, tem intensidade, persistência e profundidade, com final longo, untuoso e fresco.

Vinho Tinto Pinot Nero Blauburgunder

De cor vermelho-rubi brilhante e nariz fresco e frutado, lembra a groselha e cereja preta. Tem bom corpo, taninos macios, equilibrado e com fundo de boca longo, aveludado e muito elegante.

Uma taça desse vinho fica sensacional para acompanhar carne de javali, aves, cogumelos e queijos tipo Brie e Camembert.


Região Sicília

Antes de tudo, é preciso dizer que a Sicília é um verdadeiro paraíso no mar Mediterrâneo. Por ter sido povoada por diferentes culturas, a região tem uma diversidade cultural gigantesca! Isso é também evidenciado pelos idiomas: é comum ouvir pessoas falando francês, alemão e até árabe. Toda essa mistura é observada na gastronomia, considerada complexa e articulada, rica em especialidades e sem dúvida a mais cenográfica da Itália.

Graças ao clima mitigado pelo Mediterrâneo, se produzem as famosas laranjas, ervas aromáticas e especiarias, além dos pistaches e das azeitonas. As influências africanas dão lugar a pratos a base de peixe, onipresente em toda a ilha, mas também são muitas as receitas à base de verduras, de massa, arroz e cous cous.

Queijos sicilianos

A comida de rua é outro assunto levado bem à sério na Sícilia, além dos queijos importantes e conhecidos mundo afora como aqueles de pastas filadas, de búfala ou burrata, e é claro, o tradicional Pecorino Siciliano. Capítulo à parte merece a confeitaria siciliana, triunfo da herança barroca com os seus marzipãs, cassatas e cannolis.

Na região, há videiras exuberantes graças às suas favoráveis características ambientais. Assim, hoje em dia, na região siciliana, vinhos brancos e tintos com muita personalidade são um deleite aos sentidos! Lá, as uvas nativas tintas de maior destaque são a Mascalese e Nero D’Avola, e as brancas são a Grillo e a Inzollia.

No passado, a região se destacou pelos vinhos doces de sobremesa, mas atualmente, são os vinhos brancos que dominam a produção siciliana.

Tinto Italiano Nero D’Ávola Sicilia Zonin

Vinho de cor vermelho púrpura, com nariz amplo e intenso lembrando a frutas vermelhas, flor de amendoeira e especiarias. Na boca, é encorpado, intenso, com taninos aveludados e fundo de boca persistente e ligeiramente tostado. Acompanha muito bem com carnes de caça, massas com molhos picantes e queijos curados.

Vinho Tinto Italiano Etna Rosso

Encorpado, acompanha bem massas com ragu, lasanha com molho vermelho, queijos meia cura e pizzas. Vermelho púrpura, com aromas de frutas maduras, tostado e toques defumados. Na boca, tem intensidade, persistência, taninos macios e fundo de boca longo e aveludado.


Região Toscana

Localizada no centro da Itália, a Toscana, de tão paradisíaca, parece que saiu de um conto de fadas, sempre arracando profundos suspiros de todos seus visitantes. Quem conhece o local, aliás, sabe que lá é o lugar ideal para comer e beber bem, pois não faltam pães, azeites, queijos e doces deliciosos! Uma das curiosidades é que o pão, base em inúmeras receitas, é sem sal e tem a crosta crocante.

Aproveite para aprender com o Expert Piero Cagnin uma receita típica da Toscana:

Falando em pão, geralmente ele é aproveitado mesmo quando amanhecido em inúmeras receitas que o usam. Outra característica da cozinha toscana é o uso de carnes brancas e de caça, e também dos embutidos de porco, sem esquecer, por fim, da confeitaria, onde primam o Panforte e os Cantucci.

E quanto aos queijos… Na Toscana, é um melhor que o outro! Como a região tem rebanhos de ovelhas muito grandes, muitos queijos são feitos de leite de ovelha como o Pecorino Romano, Sardo e o Toscano.

Toscana: muitos queijos da região são feitos com leite de ovelha.

A tradição de produzir bons vinhos não é à toa. Sendo uma das regiões vinícolas mais expressivas da Itália, com mais de 7 mil vinhedos, da Toscana saem vinhos com grande diversidade de características. A uva típica da região é a Sangiovese. Dela, são produzidos os vinhos Chianti, o mais famoso vinho italiano.

Vinho Tinto Italiano Sant’Ilario Chianti

De cor vermelho rubi, com aromas de frutas frescas e notas de violeta. Na boca, tem corpo médio, fresco e com taninos macios. Ideal para o prato principal e forma o ”par perfeito” com massas com ragu, lasanha com molho vermelho, queijos meia cura e pizzas.

Sendo uma das regiões vinícolas mais expressivas da Itália, da Toscana saem vinhos com grande diversidade de características.

Foto: Rodrigo Azevedo / Zona Sul

Vinho Tinto Italiano Sangiovese Zonin

Esse vinho tem tonalidade vermelho-rubi intenso, com nariz de frutas do bosque e ligeiro floral. Na boca, tem bom corpo, taninos macios, fresco e com fundo de boca longo e aveludado. Acompanha bem carnes de caça, massas com molhos picantes e queijos curados.


Região Puglia

No sul da Itália, bem no “salto da bota”, fica a Puglia, com seu belíssimo litoral e população hospitaleira. Apesar de ser (ainda) pouco explorada por turistas, a região é um paraíso para os amantes do combo comida e bom vinho!

As hortaliças aparecem em abundância em numerosos preparos, sobretudo em receitas de primavera e de verão, acompanhadas de peixe, enquanto no outono e no inverno os legumes e as massas com seus molhos intensos se destacam. O povo local também adora queijos, tanto que é lá que foi criada a burrata. Além disso, a mozzarella de búfala é uma das atrações gastronômicas da região.

Curiosidade: em Puglia foi criada a Burrata.

E é claro, na Puglia tem ótimos vinhos. Como o calor e sol são abundantes, as plantações de uvas prosperam e formam paisagens cheias de videiras. Entre as uvas mais famosas, está a Primitivo. Ao Sul de Puglia, mais especificamente na região de Manduria, são fabricados vinhos a partir da uva Primitiva famosos mundialmente. Além de tintos, essa casta também dá origem a vinhos rosés de excelente qualidade!

Vinho Tinto Primitivo Di Manduria

Encorpado e ideal para o prato principal, esse vinho tem cor púrpura, nariz intenso e persistente, lembrando a frutas maduras, hortelã e ligeiro tostado. Na boca, tem boa textura, taninos aveludados e fundo de boca longo. Irresistível com carnes de caça, massas com molhos picantes e queijos curados.


Região Vêneto

Vêneto, no Nordeste italiano, é uma região que combina perfeitamente com fotos de casamento e lua de mel. É nessa região que fica a romântica Veneza, capital da região e uma das cidades mais encantadoras do mundo. Com relação à gastronomia, existem inúmeras receitas preparadas com verduras frescas e perfumadas, com aves, com feijões e leguminosas típicas dos morros e das montanhas e finalmente com arroz sobretudo em formato de risotto.

Aprenda uma receita de risotto com o Expert Piero Cagnin:

Risotto por Piero Cagnin

A herança que vem da República Sereníssima, responsável por ter introduzido o uso das especiarias e do açúcar, importados de Constantinopla e Alexandria do Egito, além da implementação maciça do uso do milho em todo o seu território e o contato quase que umbilical com a lagoa e o mar, fazem da cozinha veneta uma referência também em pratos de peixe, inclusive peixe conservado seco como é o caso do stoccafisso, bacalhau seco ao ar e desidratado.

Ahh, não podemos deixar de falar de queijo! Em Vêneto, o mascarpone, cremoso e feito com creme de leite fresco, é venerado! O mascarpone é utilizado no Tiramisù, que você pode aprender a fazer no vídeo abaixo:

Tiramisù

Os emblemáticos vinhos de Vêneto chamam a atenção do mundo todo pela excelência e sabor inconfundível. Alguns dos principais representantes da região são: Valpolicella, o Recioto Della Valpolicella, Amarone Della Valpolicella e o Prosecco, vinhos estes que representam muito bem o típico terroir veneziano.

Vinho Tinto Zonin Amarone

Essa encorpada bebida é ideal para o prato principal e deve ser servida entre 16 a 18°C. De cor vermelho-púrpura, com nariz amplo e intenso lembrando a frutas vermelhas, flor de amendoeira e especiarias. Na boca, é intenso, com taninos aveludados e fundo de boca persistente e ligeiramente tostado. Acompanha bem carnes de caça, massas com molhos picantes e queijos curados.

Ficou claro que, de fato, cada região italiana possui identidade única transmitida aos vinhos que dali saem. Então conte sempre com o Zona Sul para viajar pelos sabores da Itália e para aprender mais sobre vinhos e harmonizações.

Catálogo vinhos de inverno