O Uruguai, apesar de ser o segundo menor país da América do Sul, é um dos gigantes quando o assunto é vinho. Há no país cerca de 300 vinícolas produzindo vinhos de alta qualidade e a população, inclusive, consome cerca de 30 litros de vinho per capta! Falando nisso, você sabia que grande parte desses vinhos são fabricados a partir da uva Tannat, considerada o maior símbolo dos vinhos do país?

Porém, apesar da fama dos Tannat, os rótulos do Uruguai vão muito além desta casta. Neste post, o Expert Dionísio Chaves mostra as fascinantes características dos vinhos que têm feito tanta gente se apaixonar! Então se prepare e embarque conosco nessa viagem ao fantástico universo dos vinhos uruguaios.

Apesar da fama, o Uruguai apresenta outros vinhos, além dos Tannat, muito bem pontuados. Confira!

Uruguai, o solo ideal

Primeiramente, o Uruguai é geograficamente e climaticamente privilegiado! Localizado entre os paralelos 30º e 35º, similar às melhores regiões vinícolas da Argentina, Austrália, Chile e África do Sul, o país tem as estações bem definidas e solo argilo-calcário, com boa drenagem.

Além disso, umidade é o que não falta graças ao Oceano Atlântico e o Rio da Prata. A taxa de precipitação (média de chuvas) no país também é ideal. Desse jeito, nem é preciso se preocupar com a irrigação das videiras!

Sem contar que, por ser pequeno, menor do que vários estados brasileiros, todo o território pode ser utilizado para o cultivo de uvas. Tudo isso, somado a fatores como a elevada altitude e adequada incidência de luz solar, fazem do Uruguai um dos locais mais propícios para a produção de vinhos do continente.

O que é terroir

Mas agora, você deve estar se perguntando: o que é esse tal de terroir? Enfim, essa palavra francesa representa basicamente o DNA da bebida, um conceito que envolve as vinhas, videiras e processos. Desse modo, um vinho de terroir é aquele que consegue expressar as características de sua região produtora. Para ajudar você a entender mais sobre os termos comuns no mundo dos vinhos, preparamos um glossário completo! Clique aqui e confira.

Uvas de destaque

Agora, conheça um pouco mais sobre as uvas responsáveis pelos melhores e mais prestigiados vinhos uruguaios e encontre rótulos especialmente selecionados para você aqui no Zona Sul! Aproveite para conhecer as dez uvas mais famosas do mundo dos vinhos.

Tannat

De origem francesa, essa casta encontrou, no Uruguai, tudo que precisava para se desenvolver e se tornar um sucesso! Atualmente, cerca de metade dos vinhedos uruguaios são compostos por essa casta.

dicas de ouro vinhos zona sul

É consenso que Tannat está para o Uruguai assim como Malbec está para a Argentina.

Como o próprio nome indica, as uvas Tannat são ricas em taninos. Taninos são aqueles elementos responsáveis pela cor e também por causar certa adstringência na boca. Assim, ao tomar vinhos fabricados com essa casta, esteja preparado para apreciar bebidas intensas, com grande intensidade de cor e excelente corpo. Produz vinhos marcantes, mundialmente conhecidos e premiados.

Devido às suas características, como por exemplo os taninos fortes, os vinhos Tannat são parceiros de um bom churrasco, uma das especialidades do Uruguai! É o match perfeito da gastronomia.

Curiosidade: Inicialmente, a uva era chamada de harriague, em homenagem a Don Pascual Harriague, responsável por cultivar as primeiras mudas de Tannat no território uruguaio.

Cabernet Sauvignon

A Cabernet Sauvignon é extremamente versátil! As videiras se adaptam em qualquer clima, desde que não seja muito extremo. A uva possui casca grossa, resultando em bebidas de cor profunda, encorpadas e com taninos acentuados. Aliás, essas características da casca protegem a uva de variações climáticas intensas.  

Para muitas pessoas, a Cabernet Sauvignon é a uva mais cosmopolita do mundo.

Também de origem francesa, os vinhos produzidos a partir dessa casta possuem características distintas. Os vinhos mais jovens, por exemplo, por terem taninos mais fortes, combinam com pratos mais gordurosos, como carne de porco. Já os mais envelhecidos e menos tânicos vão bem com carnes assadas em geral.

Quem já provou, sabe bem o porquê de a Cabernet Sauvignon ser chamada de A Rainha dos Tintos!

Malbec

Quem disse que Malbec só tem na Argentina e na França? No Uruguai, várias vinícolas familiares se especializaram no cultivo dessa casta e têm produzido vinhos cada vez mais reconhecidos.

Os rótulos Malbec têm coloração intensa, próxima da uva in natura. Na boca, têm sabor prolongado e aroma frutado. Perfumado, robusto e bem concentrado, o vinho Malbec é uma excelente pedida para noites mais frias de inverno que, por sinal, pedem um delicioso fondue.

fondue queijo zona sul
Uma pedida para o inverno: fondue de queijo

Depois de conhecer a versatilidade das uvas, aproveite e confira, a seguir, a história da vinícola Gimenez Mendez, uma das maiores responsáveis pela promoção do vinho uruguaio mundo afora.

Gimenez Mendez: a emblemática bodega uruguaia

Antes de mais nada, a história dessa bodega tem, em suas raízes, a força de uma mulher decidida, proativa e forte: Marta Mendez Parodi. Nascida em Montevideo, em uma família de comerciantes e industriais, desde pequena Marta se destacou por sua tenacidade e atitude produtiva e ingressou desde muito jovem no setor vitivinícola. Casou-se e teve três filhos, todos hoje trabalham com os pais na vinícola.

Gimenez Mendez, vinícola. Foto: divulgação

Gimenez Mendez é a bodega que mais obteve medalhas de ouro no concurso internacional Tannat Al Mundo! E os cariocas, como prezam por produtos de excelência, têm colocado esses nobres vinhos uruguaios em lugar de destaque. Então confira, a seguir, o que a Gimenez Mendez oferece de melhor!  

Casco Viejo Reserva de Familia Tannat

Esse vinho tinto tem médio corpo, taninos macios, é equilibrado e agradável de beber. É indicado para pratos principais e deve ser servido em temperatura de 16 a 18°C. Combina perfeitamente com churrasco, feijoada e queijos meia cura.

Casco Viejo Reserva de Familia Malbec

Segundo o Expert Dionísio Chaves, o vinho Casco Viejo Reserva tem médio corpo, é frutado, além de ter taninos macios e fundo de boca muito agradável. Assim como seu “irmão” feito da casta Tannat, vai bem com um bom churrasco, feijoada e queijos meia cura.

Casco Viejo Reserva de Familia Cabernet Sauvignon

Fabricado com as famosas uvas Cabernet Sauvignon, esse é um tinto de médio corpo, equilibrado, com taninos macios e final de boca fino e elegante. Ideal para o prato principal, deve ser servido entre 16 a 18°C.

Ótimo para acompanhar carnes de caça, picanha, bife de chorizo, massas com molhos picantes e queijos maturados.

Gimenez Mendez Alta Reserva Tannat

Um vinho de bom corpo, bom equilíbrio, com taninos presentes, mas finos. Final de boca longo e aveludado. Guarda até 5 anos. A dica é consumi-lo com carnes de caça, picanha, bife de chorizo, massas com molhos picantes e queijos maturados.

Por fim, é só escolher o seu rótulo favorito, passar no Zona Sul mais próximo ou pedir pelo site / app e preparar aquela receita especial para acompanhar. Aproveite também e confira as dicas para melhor conservar o seu vinho em casa.

Quer mais dicas de harmonização de receitas e vinhos para o inverno? Baixe gratuitamente o catálogo de vinhos Zona Sul, elaborado com todo o carinho para você degustar o melhor dos seus dias frios.

Catálogo de vinhos de inverno Zona Sul 2021