Se você é um admirador de vinhos, será que passa no teste do vinho do Porto? Algumas questões sobre este diferenciado tipo de vinho não são muito bem explicadas por aí e muita gente deixa de aproveitar o melhor da bebida e suas harmonizações. Venha desvendar mais sobre os deliciosos vinhos do Porto com o Expert Dionísio Chaves!

Antes de mais nada, é importante ressaltar que conhecer mais sobre vinhos não é um bicho de sete cabeças e você vai descobrir isso aqui.

Com perguntas e respostas bem rápidas, o Expert Dionísio Chaves vai revelar mitos e verdades sobre um tipo de vinho tão especial que possui uma taça só pra ele. Tudo de forma rápida e didática para você poder compartilhar com aquele amigo que acabou de começar a se interessar pela vitivinicultura.

Aqui você vai ver:

1 – Vinho do Porto não é do Porto?

Sabe onde são produzidos os Vinhos do Porto? Se você acha a pergunta tão óbvia quanto a clássica questão “qual a cor do cavalo branco de Napoleão?”, saiba que nem tudo é o que parece! Afinal, eles são produzidos na região do Douro, em Portugal.

O Alto Douro já produz vinhos há 2.000 anos. Seu principal produto, o vinho do Porto, é mundialmente conhecido.

Por que o nome Porto?

A explicação é simples: na época em que a região foi demarcada em 1756 pelo Marquês de Pombal, o mesmo obrigava que o vinho, produzido na região do Douro, localizada ao norte de Portugal, descesse para envelhecer em Vila Nova de Gaia e fosse comercializado a partir do Porto, para maior controle sobre sua produtividade, qualidade e cobrança de impostos.

A região do Douro fica ao norte de Portugal e está classificada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

O vinho do Porto, por ser produzido exclusivamente em uma localização demarcada, ou seja, a região empresta seu nome ao produto criado e produzido no local, o vinho do Porto recebe a expressão DOC nos rótulos.

É o que chamamos de Denominação de Origem, um sistema de denominação utilizado para certificar produtos portugueses cuja produção esteja ligada geograficamente a uma região e sujeita a regras acordadas em na legislação.

2 – Vinho doce e suave são a mesma coisa?

Muita gente confunde vinho doce com vinho suave. São características extremamente diferentes!

Para começar, a classificação “vinho suave” tem a ver como o teor de açúcar e não com o tipo de uva utilizado na sua fabricação, como informa a instrução normativa do Ministério da Agricultura. De acordo com a legislação, um vinho considerado seco tem, no máximo, 4 gramas de glicose por litro. Já um suave, por outro lado, pode chegar a ter 25 gramas de glicose por litro.

Imagem ilustrativa expert em cafés

Em um comparativo com os cafés, o vinho suave é o cafezinho “adoçado”.

O vinho suave pode tanto ser adicionado de açúcar quanto possuir o açúcar residual do seu processo de fermentação, geralmente interrompida antes do processo completo, o que faz dele mais suave em teor alcoólico e com mais açúcar.

O vinho do Porto: doce, licoroso e fortificado

Já o vinho do Porto é considerado um vinho doce ou vinho de sobremesa fortificado. Isso porque ele recebe a adição de aguardente vínica durante seu processo de fermentação e licoroso devido aos seu alto teor alcoólico.

Ou seja, quando o mosto está em fermentação e atinge aproximadamente 8% de grau alcoólico, é acrescido de aguardente vínica. Com isso, as leveduras param de trabalhar e a fermentação é interrompida. Você já aprendeu que no caso dos vinhos suaves, quando a fermentação interrompida, sobra mais açúcar residual.

Isso explica o vinho do Porto ser mais doce. Mas tal processo não faz dele suave. Afinal, a adição de aguardente vínica faz dele mais alcoólico e fortificado.

Características do Vinho do Porto. Por Zona Sul.

Dos vinhos licorosos portugueses, como o Madeira, o vinho do Porto costuma ser o mais doce. No caso dos brancos, a fortificação dos brancos difere dos tintos, por isso existem brancos mais secos, por exemplo.

3 – Só existe um tipo de vinho do Porto?

Não, existem diferentes tipos de vinhos do Porto, inclusive rosés e brancos. Todavia, são os tintos os que são mais característicos pelo paladar mais adocicado.

Existem diferentes tipos de vinho do Porto tintos, entre eles estão:

  • Ruby: jovem e frutado, envelhecido por cerca de 3 anos em madeira;
  • Tawny: submetido a um maior envelhecimento em carvalho, mais encorpado e aromático. Também existem Tawny com indicações de idade, amadurecidos em madeira por períodos de 10, 20, 30 e 40 anos;
  • Colheita: é um Tawny de uma só colheita, envelhecido em madeira por um período mínimo de 7 anos;
  • Vintage: o mais conceituado dos vinhos do Porto, de uma única safra, lançado em anos especiais;
  • Late Bottled Vintage (LBV): feito de uma única safra é amadurecido em madeira por 4 a 6 anos antes de ser engarrafado;

Além disso, existem os vinhos do Porto brancos, que são elaborados com o mesmo processo dos tintos, porém com castas brancas. Podem ser secos, extra-secos, meio-secos e doces.

4 – Vinho do Porto só combina com sobremesas?

Apesar de serem muito famosos por sua harmonização com as sobremesas, principalmente no caso dos tintos e mais envelhecidos, os vinhos do Porto são versáteis e caem bem em diferentes ocasiões. Geralmente combinam muito bem com queijos mais curados, como os queijos azuis e com frutas secas.

O vinho do Porto do tipo Colheita vai muito bem com carnes vermelhas e molhos agridoces, enquanto um vinho branco do Porto combina bem com aperitivos com azeitonas, melão com presunto ou amêndoas salgadas.

Vai um drink?

O Expert Dionísio Chaves @dionisiochavess ainda dá uma ideia refrescante de drink com vinho branco do Porto. Aperte o play:

Quer algumas ideias? Confira as dicas de harmonizações para os vinhos Romariz, por Dionísio Chaves.

5 – A taça ideal para beber seu vinho do Porto

Por ser um vinho fortificado e mais alcoólico que os demais, o vinho do Porto possui sua própria taça, que comporta apenas 30 mL da bebida. A tacinha é mais estreita na parte superior para concentrar os aromas e para facilitar a percepção do sabor doce na ponta da língua.

Este tipo de cálice é considerada a taça ISO para a melhor apreciação dos aromas do vinho. Todavia, não se prenda às técnicas caso você não tenha uma em casa.

Tipos de taças para vinhos, por Dionísio Chaves.

Alguns pequenos copinhos também são destinados à degustação do vinho do Porto, que por ser mais alcoólico, geralmente é servido em pequenas quantidades.

Fica aqui um segredo entre nós: na falta de uma taça específica, tire aquele cálice de licor do armário e sirva seu vinho do Porto.

Expert Dionísio Chaves

Onde encontrar vinhos do Porto?

Onde comprar um vinho do Porto de qualidade? Ah, você já sabe a resposta! No Zona Sul você encontra rótulos selecionados e pontuados pelo Expert em vinhos Dionísio Chaves e ainda conta com a ajuda da inteligência artificial do Sommelier Digital para indicar o tipo de certo de vinho para cada ocasião.

Um brinde ao mundo dos vinhos!