É hora de aproveitar o sabor do país consagrado pelos vinhos de qualidade na segunda edição do Festival de Vinhos de Portugal no Brasil! Aproveite toda a variedade dos rótulos lusitanos nessa ação especial que vai de 29 de outubro a 7 de novembro e conte com o Zona Sul para ajudar você na sua escolha e harmonização!

Festival de Vinhos Portugueses: 29 de outubro a 7 de novembro!

Aqui você vai ver:

O Festival de Vinhos Portugueses

O festival, promovido pela ViniPortugal, tem o objetivo de promover principalmente nove regiões de vinícolas de Portugal: Alentejo, Bairrada, Beira Interior, Dão, Douro e Porto, Lisboa, Penísula de Setúbal, Vinho Verde e Tejo.

Entre os vinhos selecionados, você encontra também rótulos de Denominações de Origem Protegida (DOP) ou Indicação Geográfica Protegida (IGP), que garantem a região de origem de cada bebida.

Como o assunto são vinhos de qualidade, o Zona Sul “tá dentro”, oferecendo diferentes vinhos portugueses para você aproveitar ao máximo o seu Festival de Vinhos Portugueses e aprender a combiná-los com os seus melhores pratos e momentos, com as orientação do Expert Dionísio Chaves.

Expert Dionísio Chaves

Exclusividade lusitana: vinho do Porto e vinho Madeira

Dos vinhos selecionados para o festival, você encontra brancos, rosés e tintos, além dos licorosos vinhos fortificados Madeira e do Porto que, apesar de classificados como vinhos de sobremesa, são bem diferentes.

É importante saber que um vinho fortificado é chamado assim por causa do seu teor alcoólico mais alto, resultado da adição de um destilado na sua produção. A fermentação, com isso, torna-se parcial, elevando o seu teor alcoólico. Isso explica o uso de taças menores para o consumo de vinhos fortificados, pois são degustados em menor quantidade.

Vinhos de sobremesa: taças menores do que as utilizadas normalmente para vinho tinto.

Foto: Fernando Mafra / Zona Sul.

Diferenças na elaboração dos vinhos

Durante a fermentação, o tempo de adição da aguardente vínica influencia no processo e consequentemente no sabor mais ou menos doce do vinho. Geralmente, os vinhos do Porto costumam ter mais concentração de açúcar do que os Madeira.

Apesar do mesmo processo base de produção, o vinho Madeira diferencia-se do vinho do Porto em muitas outras características. A fundamental diferença é a geografia, que influencia diretamente no terroir (condições climáticas e solo) e, consequentemente, no cultivo das uvas.

A região do Douro dá origem ao vinho do Porto, enquanto a ilha da Madeira é o local de origem do vinho homônimo, situada entre os continentes europeu e africano.

Por fim, a forma como o vinho é envelhecido impacta diretamente na complexidade, sabor e aroma do vinho e na concentração e taninos.

Uma das características que diferencia o vinho Madeira dos outros fortificados é o processo de estufagem, que consiste em manter o vinho em uma temperatura média de 40ºC de 3 a 6 meses em grandes tonéis de cimento. Já os vinhos do Porto costumam ser envelhecidos em barris de carvalho.

Fatores que influenciam a produção de barris de vinho

Conheça as vinícolas

Além dos vinhos do Porto e vinhos Madeira, você poderá provar outras denominações exclusivamente portuguesas durante o festival, como o Alentejo e o Minho, com seus vinhos verdes.

Porta da Ravessa

Os vinhos Porta da Ravessa são vinhos premiados, produzidos por uma das primeiras cooperativas vinícolas de Portugal, a Adega de Redondo.

Com uma grande variedade de rótulos, os vinhos Porta da Ravessa abrangem: gama de entrada com rosé, tinto e branco, Colheita Especial, Special Edition, Reserva, Grande Escolha e Reserva Especial 30 anos.

No festival de Vinhos Portugueses, você encontra os vinhos rosé, branco e tinto Grande Escolha Porta da Ravessa.

  • Rosé: leve e equilibrado, vai bem como aperitivo, acompanhando saladas, peixes, carnes magras, queijos leves e comida japonesa.
  • Branco: muito bom como aperitivo, acompanhando principalmente saladas, peixes brancos grelhados e queijos leves.
  • Grande Escolha: bom corpo e com taninos presentes mas delicados, é ótimo para acompanhar pratos fortes e condimentados como paleta de cordeiro, confit de canard, ensopado de carne e queijos curados.

Romariz

A casa Romariz foi fundada em 1850. Entre os diversos rótulos da vinícola, você encontra o Romariz Douro tinto: equilibrado, encorpado, com acidez bem integrada, taninos firmes, redondos e um final elegante e macio. Ideal para pratos principais, combina com carnes e queijos.

Além do Romariz tinto, você também encontra excelentes vinhos do Porto produzidos pela vinícola Romariz.

Henriques & Henriques

A vinícola Henriques & Henriques destaca-se pelos seus rótulos produzidos com a uva tinta Negra Mole: os vinhos Madeira Full Rich Doce e o Medium Dry.

O Full Rich Doce é um vinho escuro e doce com aromas a caramelo. Encorpado e muito frutado, deve ser saboreado com sobremesas como pudins, bolos e tortas de chocolate e com café. Deve ser servido a uma temperatura de 8ºC a 12º C.

Já o Medium Dry é um vinho de cor dourada não muito intensa. Ao olfato apresenta-se meio seco com aromas vibrantes de frutos. Indicado para todas as ocasiões, vai bem como aperitivo ou acompanhando torta de frutas secas e torta de maçã.

Casa Santos Lima

A Casa Santos Lima é uma empresa familiar, fundada no século XIX pelo negociante de vinhos português Joaquim Santos Lima. Localizada no conselho de Alenquer, aproximadamente 45 km a norte de Lisboa, uma região onde a tradição vitivinícola é secular.

Tal tradição não impede o desenvolvimento de novas tecnologias aliadas à produção dos vinhos Quintas das Amoras e Azulejo, todos de ótimo custo-benefício e muito bem avaliados de acordo com a pontuação do Expert Dionísio Chaves.

Critérios de avaliação Pontuação Dionísio Chaves

Quinta das Amoras

Entre os rótulos selecionados estão o tinto e o rosé Quinta das Amoras, ambos com pontuação 85 pelo Expert em vinhos.

O vinho tinto Quinta das Amoras é frutado, leve e muito agradável de beber. De consumo imediato, combina com queijos e massas.

Já o rosé, indicado para entrada, possui cor cereja, nariz frutado, é equilibrado e fácild e beber. Combina com saladas, peixes, massas e queijos.

Azulejo

O Vinho Branco Azulejo, classificado com 86 pontos pelo Expert Dionísio Chaves, possui aromas de frutos vermelhos maduros, com um bom equilíbrio de carvalho que é o resultado de 4 meses em barricas. É um vinho muito equilibrado de sabor agradável. De corpo leve e consumo imediato, harmoniza bem com peixes, queijos e salada.

Casal Branco

Com mais de 660 hectares de terreno e uma tradição agrícola e vitivinícola, a vinícola Casal Branco foi pioneira em inovação tecnológica na região do Ribatejo. Na margem esquerda do rio Tejo, as vinhas que hoje ocupam 140 hectares e se beneficiam do terroir arenoso, cultivando sobretudo típicas castas portuguesas: Fernão Pires, Castelão, Trincadeira e Touriga Nacional, além de outras castas estrangeiras.

A vinícola Casal Branco já possui reconhecimento pelos seus conhecidos vinhos Falcoaria, Capucho, Terra de Lobos, Quinta do Casal Branco e Espumante Monge.

Quinta do Casal Branco

Entre os diferentes vinhos da linha Quinta do Casal Branco, destacam-se o Cabernet Sauvignon, Touriga e Branco Alvarinho.

  • Cabernet Sauvignon: de cor violeta intensa, é sutil e elegante, tanto no aroma quanto na boca. Com textura sedosa é indicado para pratos principais.
  • Touriga Nacional: sabores expressivos de frutas vermelhas com notas de chocolate hortelã. Ideal para acompanhar pratos de carne, queijo grelhado e massas.
  • Alvarinho: branco com notas de frutas cítricas, flores brancas e mineral. Na boca tem bom equilíbrio, fresco e muito agradável.

Terra de Lobos

O vinho português branco Terra de Lobos tem aromas de maçã, limão, damasco, notas de flores brancas e especiarias. Na boca, acidez equilibrando o álcool e fundo de boca com bastante mineralidade. Indicado para entrada e prato principal.

Vai bem com queijos de médio corpo, saladas, entradas, peixes, frango, massas e porco.

O vinho tinto Cabernet Sauvignon Terra de Lobos apresenta um perfume floral, aroma agradável de frutos vermelhos maduros, frutos silvestres e especiarias. De sabor frutado, complexo e rico, possui final aveludado e persistente.

Ideal para acompanhar pratos de carne, queijo grelhado e massas.

Adega de Cantanhede (Praça dos Marqueses)

A Adega de Cantanhede aposta na produção de vinhos de boa qualidade, proporcionando uma excelente relação custo-benefício. A sua produção representa cerca de 40% da produção total da região, sendo que 80% são vinhos e espumantes com classificação Bairrada DOC e Beira Atlântico IGP.

No Festival de Vinhos Portugueses você encontra o vinho Praça dos Marqueses Rosé, Tinto e Branco, produzidos pela vinícola.

  • Branco: de corpo médio, vai bem com peixes, crustáceos, queijos e culinária japonesa;
  • Rosé: de corpo médio, é indicado para ocasião de entrada;
  • Tinto: de corpo médio, é indicado para prato principal e deve ser servido de 16 a 18°C.

Sovibor

A Sovibor cultiva uvas certificadas para a produção de vinho DOC – ALENTEJO – na sub-região de Borba. Seus alentejanos são o Sovibor Borba e o Borba Fazer as Onze Premium.

Uma curiosidade: no Alentejo há um hábito chamado “Fazer as Onze” que significa literalmente beber, mas à alentejana. Como o nosso happy hour, só que às onze da manhã, acompanhado de uns petiscos.

  • Borba Fazer as Onze Premium: corpo médio, vai bem com carnes bovinas, aves, carnes exóticas e carnes de porco.
  • Sovibor Borba: combina com carnes bovinas, queijos e deve ser servido de 16º a 18ºC.

Bacalhôa

Bacalhôa Vinhos de Portugal é uma das maiores e mais inovadoras empresas vinícolas em Portugal, com sólida reputação e vastos rótulos produzidos. A Bacalhôa dispõe de adegas nas regiões mais importantes de Portugal: Alentejo, Península de Setúbal (Azeitão), Lisboa, Bairrada, Dão e Douro.

Entre os vinhos participantes do festival, estão os Serras de Azeitão, Casal Mendes e Dão, sobre os quais você pode saber mais características de acordo com o site oficial Bacalhôa.

Serras de Azeitão

Confira as características dos vinhos branco e tinto Serras de Azeitão:

  • Branco: fresco, muito mineral, muito cheio e envolvente, o que lhe confere um final longo e persistente. Vai bem com sopas e pratos de peixe, pratos leves de carne ou cozinhas mais condimentadas dado o seu corpo e complexidade aromática.
  • Tinto: vinho com um final cheio, muito fresco e persistente. Um excelente acompanhamento para pratos elaborados de peixe e aves.

Casal Mendes vinho verde

Cor citrina pálida com ligeiros reflexos esverdeados. Aroma frutado com notas de frutos tropicais. Na boca revela uma presença ácida importante, que lhe confere frescor. O final é levemente adocicado. Ideal como aperitivo ou para acompanhar pratos de peixe, saladas ou mariscos. Deve ser servido entre 8 e 10º C.

António Saramago

Fundada pelo enólogo António Saramago, a vinícola portuguesa nutre 3 pilares fundamentais: qualidade, identidade e paixão. No Festival de vinhos portugueses, você pode conferir todo o sabor do Saramago Terras da Beira, presente também no catálogo de vinhos de primavera Zona Sul.

De consumo imediato, o Terras da Beira apresenta aromas de frutas frescas, notas minerais e flores vermelhas. Na boca, tem corpo médio, taninos finos, bom frescor e com final de boca macio.

Ideal para pratos principais, deve ser servido de 16ºC a 18ºC e acompanha bem carnes magras, carne de porco, frango assado, pizzas, massas e queijos meia cura. Conheça mais sobre os tipos de queijos mineiros.

Casa de Vila Verde (Tiroliro)

O vinho verde, único no mundo, é produzido na província do Minho, a noroeste de Portugal – uma região costeira geograficamente bem localizada para a produção de excelentes vinhos brancos.

Naturalmente leve e fresco, com moderado teor alcoólico, portanto menos calórico, o Vinho Verde é um vinho frutado e fácil de beber.

O Alvarinho Tiroliro é um excelente aperitivo, acompanha muito bem sardinha na grelha, peixes grelhados, carpaccio de peixe branco, sushis, sashimis, ceviche, temakis e queijos de cabra fresco e Quiche de brie com peras.

Aproveite o Festival de Vinhos Portugueses e escolha o seu rótulo ideal! Se ficar na dúvida, conte com a ajuda do sommelier digital Zona Sul e fique de olho nas dicas para conservar o seu vinho em casa!