Vamos fazer um teste? Em dez segundos, pense em pratos gostosos preparados com peixe. Será que você pensou em salmão, atum ou bacalhau? Os peixes populares na culinária tradicional são deliciosos, mas está na hora de você conhecer os peixes brasileiros que vêm conquistando cada vez mais espaço nos pratos e supermercados, aclamados por Chefs do mundo todo. Prepare o seu paladar e se surpreenda!

Aqui você vai ver os seguintes peixes brasileiros:

Pirarucu, o gigante de água doce

O gigante da Amazônia, como é conhecido, o pirarucu é um dos maiores peixes de água doce de rios e lagos do país. Seu nome é uma junção de termos indígenas: pira, “peixe”, e urucum, “vermelho”, cor da sua cauda. Ele pode atingir até 3 metros de comprimento e seu peso pode chegar a 200 kg.

Na gastronomia, recebeu o título de bacalhau brasileiro devido às semelhanças com o tradicional peixe utilizado nas ceias de fim de ano. É um peixe quase sem espinhos e muito versátil para diferentes preparos.

Expert Carlos Ohata explica sobre o pirarucu.

Preservação da espécie: manejo sustentável

O pirarucu corre riscos de extinção devido à pesca predatória realizada ao longo dos anos. Todavia, alguns esforços já foram tomados para preservar a espécie, e um deles é o manejo sustentável. A iniciativa capacita pescadores locais para manejar o pirarucu de forma adequada, assegurando a sobrevivência da espécie e a viabilidade econômica da atividade pesqueira (fonte: WWF).

Pirarucu, o gigante da Amazônia considerado o bacalhau brasileiro.

Alguns eventos têm acontecido pelo país para promover a valorização do produto nacional e o diálogo entre vários estilos gastronômicos, incentivando a inserção do pirarucu nos menus de restaurantes, como o Festival Gosto da Amazônia.

Você encontra pirarucu obtido através do manejo sustentável aqui no supermercado mais amado do Rio e pode aprender receitas deliciosas com os Experts e Chefs Zona Sul e ainda harmonizar cervejas com pratos feitos com o gigante amazonense.

Tamboril, o peixe-sapo

Quem já apreciou o delicioso sabor do tamboril (ou tamburil) mas nunca o viu de perto, não imagina que o peixe costumava ser desprezado pelos consumidores brasileiros devido à sua feiura. Felizmente, o jogo virou, e hoje em dia o tamboril, que antes era pescado aqui com destino à exportação, também se faz presente nos pratos brasileiros.

Conhecido como peixe-sapo, o tamboril é um peixe de águas profundas, que pode ser encontrado no litoral entre o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul.

É comum encontrá-lo também pela costa da Noruega, mares Mediterrâneo e Negro e na costa da África Ocidental. Apreciado na gastronomia europeia, é conhecido como lotte nos restaurantes franceses e é famoso em Portugal, principalmente na receita de arroz de tamboril.

“Beleza não põe mesa”, já dizia o ditado popular. O tamboril pode não ser um peixe muito apresentável, mas é extremamente saboroso.

Em cada país, o curioso peixe recebe um nome diferente, como monkfish em inglês ou rape na Espanha, mas sua presença na alta gastronomia é comum a todos os menus. Sua textura é firme e lembra a da lagosta e a carne das bochechas é a parte mais nobre do peixe.

Receita: tamboril ao curry por Carlos Ohata

Ingredientes

  • 200g de filé de tamboril cortados em cubos médios
  • 1 cenoura em pedaços
  • 1 cebola em pedaços médios
  • 1 colher de sopa de curry em pó
  • 1 colher de sopa de páprica doce
  • 100g de arroz integral vermelho
  • 1 colher de sopa de amido de milho

Modo de preparo

Arroz: cozinhe o arroz integral vermelho para servir de acompanhamento.

Peixe: em uma panela, acrescente a cenoura e a cebola em fogo médio com azeite e refogue por 5 minutos. Acrescente 200 mL de água filtrada e em seguida os cubos de tamboril. Em seguida, acrescente o curry e a páprica misturando bem e com cuidado para o peixe não se desfazer.

Finalização: após 5 minutos, acrescente o amido diluído na água para engrossar um pouco o caldo e sirva em um prato com o arroz vermelho ao lado.

Robalo, o grande versátil

O robalo é um peixe de águas salgadas que também habita em manguezais e baías. É encontrado no litoral americano e em toda a extensão do litoral brasileiro, sendo que os cardumes e os peixes de grande porte da espécie são mais comuns na região nordeste.

Das diferentes espécies de robalo, as mais comuns no Brasil são robalo-peva e robalo-flecha, sendo esta a maior da família, alcançando até 1,2 metros de comprimento e 25kg de peso, com raros casos de peixes de até 40kg!

O cozimento do robalo deve ser rápido para preservar suas características.

Na gastronomia, é um peixe considerado excelente devido à sua versatilidade e textura. Para o preparo, é importante ressaltar que o cozimento deve ser rápido, para preservar a umidade e as fibras do peixe. Sua carne vai bem grelhada, no forno, assada com crosta de castanha-de-caju e até mesmo crua em pratos como o ceviche.

Receita: couscous de peixe por Piero Cagnin

Ingredientes para o couscous

  • 120 g de Couscous pré-cozido
  • 1 abobrinha italiana média cortada em cubinhos
  • 250g de camarão 80/100
  • 300g de lulas limpas
  • 300g de filé de Robalo limpo
  • 40 mL de azeite extravirgem
  • 2 dentes de alho
  • 2 galhos de tomilho fresco
  • 1 casca de laranja
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
  • 1 molho de salsa lisa (folhas)
  • 30 g de amêndoas filetadas

Ingredientes para o caldo

  • Cabeças dos camarões
  • 50g de cebola cortada em cubos
  • 50g de cenoura cortada em cubos
  • 50g de aipo em cubos
  • 100mL de vinho branco seco
  • Talos de 1 molho de salsa
  • 150g de extrato de tomate
  • 1 casca de limão siciliano
  • 40 mL de azeite extravirgem
  • 4 galhos de tomilho seco
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Caldo: em uma panela aqueça o azeite e refogue as verduras. Acrescente as cabeças dos camarões e torre-as bem. Coloque o extrato de tomate, misturando bastante. Acrescente o vinho branco e cubra com água. Acrescente os galhos de tomilho e a casca do limão e deixe ferver. Em seguida, abaixe o fogo e deixe cozinhar por cerca de 40 minutos. Coe o caldo e reserve.

Cozimento: Coloque numa vasilha, marine por 15 minutos os camarões limpos com sal, pimenta, os galhos de tomilho e a casca da laranja e 10 ml de azeite. Em uma panela ou frigideira, aqueça 20 mL do azeite e torre o couscous mexendo bem.

Acrescente o caldo do camarão suficiente para cobrir o couscous, tampando a panela ou frigideira deixando descansar por cerca de 15 minutos. Em outra panela, aqueça o azeite restante. Acrescente os dentes de alho, a abobrinha cortada em cubinhos e as lulas cortadas em anéis.

Misture bem e acrescente o restante voltando a panela para o fogo. Quando levantar fervura, abaixe o fogo e acrescente o filé de peixe cortado em cubos grandes. Experimente o sabor e, se necessário regule o sal. Coloque os camarões e cozinhe por mais 2 minutos no máximo.

Montagem: desfaça com as mãos os grumos no couscous. Coloque em um prato formando um montinho. Acrescente o peixe e as abobrinhas (sem o caldo). Em seguida, coloque sobre o couscous algumas colheres do caldo para hidratar e salpique a salsa picada e as amêndoas. Por fim, sirva com o caldo restante colocado em uma tigela à parte.

Pescada, nobre e popular

Pescada-amarela e pescada-branca (pescadinha) são 2 das mais de 30 espécies de Pescada que vivem em toda a extensão do litoral brasileiro. Muito consumida por todo país, é um peixe de baixo custo, com poucos espinhos, de sabor delicado e considerada uma carne magra devido ao baixo nível de gorduras mas não menos nutritiva, pois é rica em cálcio, fósforo, potássio, ômega 3 e selênio.

Peixes e frutos do mar são uma fonte riquíssima de minerais e Ômega 3.

Apesar das diferenças das espécies, o sabor da carne das variadas pescadas é parecido e muito apreciado na gastronomia. Com sabor pouco intenso e textura tenra, é uma carne que absorve bem os temperos e pode ser assada, frita, cozida, utilizada em caldeiradas e no que mais sua criatividade mandar.

Um peixe de alma maranhense

A pescada-amarela é muito popular no Maranhão, e sua importância social e econômica para a região é inegável. Aliás, um dos pratos típicos maranhenses é a pescada-amarela com arroz de cuxá, preparado com as folhas do hibisco, chamado também de vinagreira. O peixe pode ser ingrediente para uma moqueca com o sabor do norte e nordeste.

“A pescada-amarela pode ser utilizada no preparo de uma moqueca com o sabor do norte e nordeste do Brasil. Para temperar, a erva de jambu, famosa por dar aquela leve dormência na boca.”

Chef Zona Sul Roberto Neves

Como escolher seus peixes na hora de comprar

Na hora de comprar seu peixe, se você optar pela peixaria Zona Sul, fique tranquilo, pois a seleção é feita criteriosamente e a conservação sempre mantida nas temperaturas adequadas e com muita higiene.

“O peixe que os clientes encontram fresco por aqui é fruto de muito trabalho do nosso time, que diariamente está selecionando os melhores itens que chegam às nossas peixarias.”

Expert Zona Sul Carlos Ohata
Identificando um peixe fresco por Zona Sul.

Entretanto, é sempre importante saber escolher seu peixe em qualquer ocasião. Por isso, anote algumas dicas básicas:

  • Brilho nas escamas ou couro sem odor forte;
  • Guelras bem vermelhas;
  • Olho bem “vivo”.

As opções de filés e postas congeladas, limpas e prontas para o consumo são ótimas para quem procura por praticidade, e elas não perdem em nada para o peixe fresco. Porém, fica a dica: peixe fresco deve ser consumido em até dois dias; não vale comprar e congelar. Nesse caso, vá no pescado congelado e bom apetite!