A lentilha é um dos alimentos mais antigos da humanidade. Com inúmeras propriedades nutricionais, a versátil leguminosa ainda não é tão explorada na dieta brasileira e nem todas as suas variedades são populares. É o caso da lentilha beluga, conhecida como caviar vegetal pelo seu aspecto semelhante à ova do peixe. Vamos conhecer mais sobre este curioso ingrediente de fácil preparo que vai trazer mais saúde e sabor para sua mesa.

Aqui você vai ver:

As lentilhas Beluga são novidade aqui no Zona Sul! Conheça e peça a sua pelo site!

Lentilha: um elemento cultural

A história da lentilha é tão antiga quanto a da civilização humana e remonta ao período Neolítico. Citada na Bíblia no livro de Gênesis como moeda de troca da primogenitura entre Esaú e Jacó, a lentilha até hoje aparece na dieta de egípcios, gregos e romanos, sendo a lentilha vermelha (corail) uma das mais encontradas no Oriente Médio, chamada por lá de masoor dal. A lentilha também é um dos alimentos consumidos na dieta Kosher, costume judaico que relaciona gastronomia à espiritualidade.

Enquanto no Egito a leguminosa era muito utilizada nas sopas, na Grécia Antiga o alimento era visto como “comida dos pobres”. Contrariando os gregos, portanto, muita gente afirma que comer uma colher de lentilhas na virada no ano é sinônimo de riqueza e prosperidade.

Superstições gastronômicas: comer uma colher de lentilha na virada do ano traz dinheiro?

Independentemente do símbolo cultural associado às lentilhas, fato é que a “prima” do feijão é um superalimento, rico em nutrientes e indicado por especialistas aos adeptos da filosofia vegetariana ou vegana.

Benefícios da lentilha

De acordo com a Embrapa, embora a lentilha faça parte da base alimentar de vários povos, o grão não é muito consumido no Brasil, apesar do seu alto valor nutricional.

A lentilha é uma importante fonte de proteína vegetal, vitaminas, cálcio e ferro, de alto valor alimentício. Rica em fibras, auxiliam na perda de peso, pois proporciona sensação de saciedade. Segundo a ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia), ela ajuda na liberação de neurotransmissores como a serotonina e melhora o desejo sexual.

Afrodisíaca? Se “o amigo perguntar” pode falar que a lentilha é indicada para melhorar a libido.

Pouco calórica, porém muito proteica e sem glúten, a lentilha é bastante versátil na culinária, de mais fácil cocção e de maior digestibilidade que o feijão.

Lentilha: alternativa ao consumo de proteína animal e indicada para dietas com restrição de glúten.

Alice no País das Lentilhas

Já que você sabe que as lentilhas podem ser ótimas fontes de nutrientes na alimentação vegana, por que não apresentá-las aos pequenos de forma lúdica, através de uma historinha pra lá de interessante?

O livro “Alice no País das Lentilhas” é um conto para crianças de 4 a 10 anos, criado pela Associação Vegetariana Portuguesa (AVP), uma organização sem fins lucrativos, para retratar de forma divertida o respeito pelo meio ambiente, pelos animais e informar sobre a alimentação vegetariana.

“Alice no País das Lentilhas”: um conto infantil português sobre alimentação e sustentabilidade.

Na versão gastronômica do clássico de Lewis Carol, a portuguesa protagonista Alice descobre um país colorido e encantado, onde as maravilhas são trocadas pelas lentilhas. O livro pode ser adquirido online, mas o envio ainda se restringe ao território lusitano.

Tipos de lentilha

Existem diversos tipos da super leguminosa pelo mundo e apesar de você provavelmente encontrar mais facilmente um deles nos mercados, existem outras variedades:

Lentilha castanha ou marrom

A lentilha castanha ou marrom é a mais popular das lentilhas aqui no Brasil, de formato achatado como uma pequena moeda e sabor suave. Seu preparo é simples e o tempo de cozimento varia de 30 a 45 minutos. Pode ser utilizada em saladas, sopas, purês e tem sido um ingrediente bastante requisitado no preparo de hambúrgueres vegetarianos e outras receitas vegetais.

No Réveillon, o arroz com lentilhas é um prato tradicional, e tem o seu sabor realçado com a escolha de um bom azeite extravirgem.

Croquete de lentilhas marrons por Piero Cagnin

Um aperitivo gostoso e indicado para os ovolactovegetarianos é o croquete de lentilha. Um petisco fácil de preparar que vai fazer sucesso em um bate-papo entre amigos.

Croquete de lentilha por Piero Cagnin

Lentilhas vermelhas (corail) e amarelas

A lentilha alaranjada ou corail, chamada também de lentilha vermelha é muito popular na Índia e no Oriente Médio. Quando cozida (processo que leva de 15 a 20 minutos), ela se comporta de forma diferente da sua “parente” castanha e se desintegra, formando um purê grosso. Tal ingrediente dá origem a pratos como o indiano dhals, temperado com bastante especiarias.

Já a lentilha amarela, geralmente vendida já quebrada, de cocção muito parecida com a vermelha, é muito usada no preparo de refogados indianos (geralmente junto com as vermelhas) e em outros pratos como Arroz Basmati.

Lentilhas verdes (francesas)

Conhecida como lentilha verde ou francesa, essa variedade tem um formato arredondado e casca mais grossa, com sabor mais terroso que as demais. Em países produtores e tradicionais consumidores, a lentilha verde também é comercializada enlatada.

As lentilhas verdes du Puy, assim como alguns vinhos de origem protegida (denominação de origem), são plantadas especificamente na região de Le Puy-en-Velay, na França, cultivadas em solo vulcânico. O terroir característico confere a elas um sabor único.

Seu tempo de cozimento varia de 45 a 50 minutos e sua forma se mantém após o preparo. Por isso, é indicada para saladas, canapés veganos e como acompanhamento de pratos principais.

Lentilhas Beluga (lentilhas negras)

A lentilha beluga é uma lentilha de cor preta e formato arredondado, por isso conhecida como “caviar vegetal”. De fácil preparo (cozinha em 20 minutos), funciona em vários pratos, de acompanhamentos a sopa, saladas e guarnições.

“Menos conhecida que a sua prima, a lentilha verde, a lentilha Beluga é rica em fibras, proteínas vegetais, vitaminas e ferro. Uma excelente alternativa para a carne!”

Expert Zona Sul Christophe Lidy

Ela é muito apreciada pelos chefs na Europa pela sua cor preta e pelo seu sabor delicado que pode lembrar o avelã ou a castanha portuguesa. É a lentilha com maior teor de proteína!

As lentilhas beluga também são comidas germinadas. Isso requer deixá-las de molho por 12 horas e depois colocá-las em uma jarra no escuro para germiná-los. As sementes são lavadas duas vezes por dia até que estejam prontas para comer. Três dias geralmente são suficientes para preparar lentilhas beluga germinadas. Elas só podem ser mantidas por 4 a 5 dias na geladeira.

Quem tenta achar essa lentilha no Brasil costuma ter dificuldades. Quer dizer, costumava. Porque agora você encontra lentilhas beluga com facilidade aqui no Zona Sul!

Almôndegas de lentilha por Herbert Montezuma

O novo Chef Zona Sul Herbert Montezuma preparou uma receita que foi sucesso na loja onde atua, no Zona sul localizado na Rua Bambina, 36 – Botafogo. Para reproduzir em casa essa delícia, anote o passo a passo.

Ingredientes

  • 1 caixa de lentilha beluga
  • 1 cebola
  • 100 g de manteiga
  • 2 xícaras de farinha de mandioca
  • 2 alhos-poró
  • 1 colher de sopa de sal

Modo de preparo

Cozinhar a lentilha beluga por 10 minutos na água com metade do sal até ficar ao dente. Escorrer a água quase toda e reservar. Puxar o refogado de cebola e alho poró na manteiga e o restante do sal. Acrescentar a beluga e mexer. Acrescentar a farinha de mandioca até dar ponto de massa dura. Esticar a massa em tabuleiro, deixar esfriar, fazer as almôndegas e fritar. Rendimento: 15 almôndegas.

Escolha o seu prato favorito e surpreenda a todos com um caviar vegetal!