O Brasil é um país rico em diversidade, tanto nos seus costumes como nos pratos da gastronomia. Tão rica quanto a culinária nacional, a vitivinicultura vem de destacando com rótulos variados e de qualidade, que conquista prêmios nacionais e internacionais ano após ano. Que tal criar um menu com os sabores do Brasil e combinar vinhos brasileiros com receitas da nossa culinária? Role o post e escolha a sua combinação perfeita.

Aqui você vai ver:

As vinícolas em destaque

O Expert Zona Sul em vinhos Dionísio Chaves selecionou algumas vinícolas que vêm ganhando notoriedade dentro e fora do país, produzindo vinhos e espumantes surpreendentes. Todas elas fazem parte do catálogo de vinhos de outono 2022, que você pode baixar aqui. São elas:

Receitas e vinhos brasileiros: o casamento perfeito

Quando se fala em comida típica brasileira, pouco se associa o menu nacional à harmonização com vinhos. Talvez a enogastronomia seja muito associada à culinária internacional, como a francesa, por exemplo. Mas estamos aqui para expandir os seus horizontes, mesmo que para isso seja necessário voltar a olhar para dentro do próprio país e redescobrir as maravilhas que ele tem a oferecer. Confira:

1 – Acarajé e espumante branco Brut Miolo Cuvée Tradition

O espumante Brut Cuvée Miolo possui aromas delicados de frutas tropicais, com destaque para abacaxi e melão, com traços de hortelã, menta e toques de pão torrado. Sua efervescência e a acidez harmonizam com comidas gordurosas e com tendência à doçura. Ele fica perfeito com um acarajé!

Receita de Acarajé Todos os Santos

Para preparar o seu menu completo, o Chef Zona Sul Herbert Montezuma ensina a preparar o seu Acarajé Todos os Santos. Anote o passo a passo:

Ingredientes

  • 500g de feijão fradinho
  • 1 cebola + 1 cebola + ½ cebola com casca
  • Sal a gosto
  • 3 xícaras de azeite de dendê
  • 250g de camarão seco
  • 1 L de leite de coco
  • 50g de amendoim torrado e sem pele
  • 75g de castanha-de-caju
  • 1 xícara de farinha de mandioca torrada
  • Gengibre ralado a gosto
  • Azeite de dendê a gosto
  • Camarões grelhados para servir na finalização

Modo de preparo

Bater o feijão no processador para quebrar o grão. Dispor em um recipiente e cobrir com água fria até o dobro do volume de feijão. Retirar as cascas que vão boiar com auxílio de uma peneira. Deixar de molho por 8 horas e escorrer a água.

Bater o feijão e a cebola no processador até virar uma pasta. Dispor em um recipiente, temperar com sal e bater com uma colher de pau até dobrar de volume. Esquentar o azeite de dendê e dispor uma cebola inteira dentro para que não ultrapasse a temperatura ideal para a fritura.

Dispor colheradas da mistura no azeite e deixar dourar dos dois lados. Bater no liquidificador o camarão seco, o leite de coco, o amendoim, a castanha de caju, a cebola, a farinha de mandioca e o gengibre.

Passar o creme para uma panela e acrescentar um pouco de sal. Cozinhar em fogo médio mexendo o tempo todo para não embolar. Quando estiver quase cozido colocar gotas do dendê, somente o suficiente para dar cor e sabor ao vatapá. Mexer até desgrudar do fundo da panela. Servir o acarajé com o vatapá, vinagrete e camarão.


2 – Baião de dois e vinho tinto Miolo Reserva Tempranillo

O vinho tinto Miolo Reserva Tempranillo é encorpado, possui aromas de frutas vermelhas com notas de baunilha, especiarias e traço floral. Seu paladar é frutado, com bom frescor, taninos presentes e final agradável. Deve ser servido a 18ºC e guarda até 3 anos. Combina perfeitamente com um belo churrasco ou com um baião de dois.

Receita de Baião de Dois

O baião de dois é um prato típico do nordeste e norte do Brasil com o toque especial do queijo de coalho, uma iguaria nacional. Anote a receira do Chef Zona Sul Leonardo Salgueiro e faça sua receita em casa.

Ingredientes

  • 500 g de feijão verde (pode substituir por fradinho)
  • 500 g de arroz parboilizado
  • 200 g de bacon
  • 250 g de calabresa
  • 500 g de carne seca dessalgada
  • 500 g de queijo coalho
  • 1 cebola grande
  • 5 dentes de alho
  • 1 pimenta dedo de moça
  • 3 colheres de manteiga de garrafa
  • 1 maço de coentro
  • 1 maço de cebolinha

Modo de preparo

  1. Corte as carnes em cubos pequenos e reserve;
  2. Cozinhe a carne seca em água suficiente para cobrir por 5 minutos após levantar fervura, repita esse processo 3x mantendo a água do terceiro cozimento;
  3. Coloque o feijão para cozinhar junto com a carne seca e a água da dessalga em panela de pressão por 10′ após “pegar pressão”;
  4. Em uma panela grande, refogue o bacon, a calabresa, a cebola e o alho em seguida, adicione o arroz misturando sempre;
  5. Acrescente o feijão junto com a carne seca e a água de seu cozimento a panela do refogado.Adicione a cebolinha picada e misture cozinhando em fogo médio;
  6. Quando estiver quase seco, adicione metade do queijo picado com parte do coentro picado e abafe a panela;
  7. Em uma frigideira, colocar a manteiga de garrafa e a outra metade do queijo coalho para dar grelhar;
  8. Adicione o queijo grelhado sobre o baião já cozido e finalize com o restante do coentro.

3 – Moqueca de camarão e espumante Amitié Brut Cuvée Rosé

O espumante Rosé Cuvée Brut Amitié possui coloração rosada e elegante e notas de frutas vermelhas. Em boca, apresenta acidez delicada e boa cremosidade. É refrescante, com alta persistência gustativa e bastante aromático. Deve ser servido de 8 a 10ºC.

Combina perfeitamente com uma moqueca baiana de camarão, que você aprender a fazer com o Expert Piero Cagnin:

Moqueca baiana por Piero Cagnin.

4 – Pirarucu e espumante Cristófoli Brut

O espumante Cristófoli Brut possui delicadas notas de pão fresco, flores brancas e aromas frutados. Sua acidez é refrescante e junto com a cremosidade e perlage intenso, ele torna-se um espumante altamente convidativo. É ótimo como aperitivo e harmoniza com peixes, carpaccios, saladas e queijos leves. Deve ser servido entre 6º e 8ºC.

Combina perfeitamente com um peixe brasileiríssimo, conhecido como o bacalhau brasileiro: o pirarucu. Que tal aprender uma receita de pirarucu com caju pelo Chef Zona Sul David Eleutério? Aperte o play!

Pirarucu com caju por David Eleutério

5 – Tiramisú tropical e espumante Casa Perini Moscatel

Possui cor amarelo palha com aromas florais e de frutas lembrando a pêssego. Na boca, tem boa textura, com bom equilíbrio entre açúcar e acidez. Deve ser servido a 6ºC.

O espumante Casa Perini Moscatel combina muito bem com doces, principalmente com sobremesas à base de frutas como o Tiramisú Tropical do Expert Piero Cagnin: uma sobremesa inspirada no tiramisú italiano mas com a alma brasileira, regado a frutas tropicais. Clique e veja a receita completa no Pinterest.

Também combina com um dos doces preferidos dos brasileiros, que é o bolo de fubá ou de leite.


6 – Dadinhos de tapioca e vinho tinto Casa Valduga Cabernet Sauvignon

Possui cor vermelho púrpura intenso, nariz com aromas de frutas vermelhas como framboesa e cereja acompanhadas por delicadas notas de especiarias. Na boca, tem bom corpo, taninos aveludados, bom equilíbrio e final de boca muito agradável. Encorpado, deve ser servido a 18ºC.

Combina com queijos, inclusive com um típico brasileiro, o queijo coalho, que é um dos ingredientes da deliciosa receita de dadinhos de tapioca da Expert Lorena Abreu.


7 – Bife perfeito e vinho tinto Maria Maria Syrah

O vinho tinto Maria Maria Syrah possui cor vermelho púrpura, nariz muito fino com aromas de frutas do bosque e especiarias. Na boca, tem bom corpo, taninos macios, bom equilíbrio e final de boca harmonioso. Encorpado, deve ser servido a 18ºC.

Ele combina com um prato muito apreciado pelos brasileiros, que é o churrasco. E quando falamos em churrasco, isso também envolve picanha, ancho e carnes bem suculentas, como o filet mignon. Que tal preparar um bife perfeito para ninguém botar defeito com o Expert Marcelo Malta? Confira as dicas:

O bife perfeito por Marcelo Malta.

Que tal ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos vinhos da gastronomia nacional? Baixe o catálogo de vinhos de outono Zona Sul e aprenda mais dicas e harmonizações.